07 setembro 2009

a minha vida é um lugar estranho


quem me conhece sabe que sim. não faltam histórias que não lembra a ninguém. nem a mim - que lentamente as vou perdendo pelo caminho. porque aqui nunca nada foi linear. comum. simples. para cada degrau existe um sem fim de armadilhas. e em cada conquista sempre o sabor amargo que me lembra que isto ainda não chega. como se tivesse constantemente de provar o meu valor. talvez porque nem eu acredito. sei que haverá sempre algo de bizarro à minha espera. embora nem sempre as surpresas sejam más. apenas irónicas. como agora que literalmente do nada se abre no caminho a tal oportunidade que desejava. que em menos de nada se torna a história mais inesperada de sempre e que logo havia de ditar para hoje o inicio de profissão. acertando com uma precisão quase cirúrgica no dia em que me perdi. como se me fosse dada a hipótese de retroceder onze anos. pergunto-me se será a tal segunda hipótese. a possibilidade de refazer tudo desde aquele preciso segundo. agora pelo caminho certo. como se agora é que fosse mesmo a sério. e o resto tivesse sido só um treino.

p.s.: estas coincidências que preenchem os meus dias dão (mesmo) muito que pensar...


4 comentários:

inês disse...

1o dia dxi work? não sei o que dizer qualquer coisa entre boa sorte e as maiores felicidades mas sem ser tão cliché ;) abraço apertado *

c. disse...

obrigada :) (também sentido e sem cliché) levo comigo todos os dias um pedacinho de ti...

(muitas saudades**)

Judie disse...

E onze anos afinal não são nada, comparado com o que está daqui para a frente...Sabia que ia começar aqui,num momento que teria alguma coisa para te dizer, uma lição para beber e não apenas num dia qualquer de um ano estranho. Sei também que, uma vez levantada, a tua cabecinha não voltará a olhar apenas as pedras da calçada e sim o céu, azul ou cinzento, que se vai oferecendo para ti daqui para em diante, cada vez mais livre, cada vez maior...********

c. disse...

...e se tu (que me conheces e aqui estás há pelo menos outros tantos anos) acreditas, então eu também tenho de acreditar que este tem de ser o tal sinal que marca a viragem. e, mesmo que não fosse, vou aproveitá-lo e dar-lhe a volta. como sempre :)