15 dezembro 2008

em balanço #1


Certos dias impõem-nos uma pausa para reflectir. Para fazer um balanço. Pedem-nos que olhemos para trás. Para o caminho percorrido até aqui. Desde aquele momento em que sentimos que não voltaríamos a conseguir respirar. Paro por instantes e tento lembrar-me do ponto de partida. Aquele momento exacto em que o meu mundo ruiu. Não são boas memórias. Guardo em mim com precisão fotográfica o instante em que tremi. Recordo o vazio e o desespero. O frio e a solidão. O medo. Lentamente esforço-me por traçar o mapa que me trouxe até aqui. A cada meta ultrapassada durante o ano revejo os momentos felizes. Os abraços apertados. As mãos dadas no escuro. Os sorrisos partilhados em silêncio. Para que eu soubesse que afinal não estou sozinha. Que afinal eu sou capaz. Que ainda me restam forças para chegar à casa da vitória. Desenha-se em mim um sorriso que me traz paz. Este balanço deixa-me calma. Sento-me e deslumbro-me com o ar que me enche os pulmões e me alimenta a certeza de que o pior já passou. Que daqui para a frente tudo será infinitamente melhor. Assim fecho os olhos, descontraio e penso: "Até aqui tudo bem".


@ Paris-Texas

"... I used to make long speeches to you after you left. I used to talk to you all the time, even though I was alone. I walked around for months talking to you (...) I even imagined you talking back to me. We'd have long conversations, the two of us. lt was almost like you were there. I could hear you, I could see you, smell you. I could hear your voice. Sometimes your voice would wake me up. It would wake me up in the middle of the night, just like you were in the room with me. Then... it slowly faded. I couldn't picture you anymore. I tried to talk out loud to you like I used to, but there was nothing there. I couldn't hear you. Then... I just gave it up. Everything stopped. You just... disappeared."
Nastassja Kinski in Paris-Texas


2 comentários:

j. disse...

e eu encho-me de orgulho em ti.

não te esqueças que terás sempre o meu abraço*

JHB disse...

Salvé Wim Wenders