04 agosto 2009

ponto de situação #2


Quando se chega ao final de uma etapa sente-se um vazio não é?


...pois, e é tal o vazio que nem me encontro dentro de mim.




6 comentários:

b.vilão disse...

Recordei-te há uns tempos esta ideia do Pedro Oom: "O vazio é uma ideia compacta". Pesa séculos sobre as costas. E aqui estou eu de novo a repetir as mesmas palavras...

c. disse...

pois meu caro amigo, tal como a famosa pescadinha de rabo na boca, cá voltamos ao ponto de partida. novamente de mãos a abanar...

como pode afinal o vazio ocupar tanto espaço?

as perguntas ecoam e respostas precisam-se :S

b.vilão disse...

O dramaturgo sueco Strindberg descrevia assim: "No fundo, é isso, o vazio: envolvermo-nos no casulo da nossa alma, fazermo-nos crisálida e aguardarmos a metamorfose, porque ela acaba sempre por chegar".

O vazio parece ocupar tanto espaço porque ao seu redor, todas as partículas e recantos da tua existência sentem a falta de algo que os amparava. Agora resta o vazio. E é precisamente o vazio que não deixa tudo desmoronar-se, porque "é uma ideia compacta", caso contrário implodias sobre ti mesma. Não receies o vazio.

c. disse...

sim, faz-me todo o sentido que seja precisamente este vazio que me suporta. me alimenta. e, no fundo, me serve de rede para não ir ao fundo. mas a verdade é que não é fácil conviver com esta companhia. admitir que é isto que orienta os nossos passos. seria (talvez) mais fácil fingir que conheço muito bem o caminho...

Ciclideo disse...

Cheguei a ter um longo comentário escrito mas depois vi que nada mais acrescentava ao que já foi (e bem) anteriormente dito. Partilho a ideia que o vazio é, partindo a casca, um sentimento eficaz e até generoso, pois dá-se desinteressadamente servindo-nos de base e oportunidade à nossa construção.

Como sempre e como dantes... é um caminho =)

Abraço-te!
**

c. disse...

Caro amigo Ciclideo,

por muito que possa ser dito, isso nunca tirará qualquer valor às tuas palavras. há sempre qualquer coisa nova que conseguimos transpor para o papel - neste caso para a tela. ando a tentar digerir este vazio e penso que muito em breve vai acabar por sair daqui qualquer coisa. boa? também não sei! mas veremos...pelo menos será mais um caminho. mais um recomeço. mais uma tentativa de chegar a algum lado.

abraço-te (de volta) **