10 fevereiro 2009

o bicho papão

Todos temos os nossos medos. É um facto. Confesso que desde o inicio do curso os meus maiores medos sempre foram os estágios. A cada inicio lá vinha outra vez a vontade inconfessável de desistir. Na minha cabeça mil e uma desculpas para que o curso ficasse por ali. O certo é que, um atrás do outro, lá se foram passando. Somam-se já dez locais de estágio a que, aparentemente, resisti. Com muitas mossas é certo. Com muita coisa que ficou fechada a sete chaves na gaveta que diz: para pensar mais tarde - se possível nunca!. Também é certo que cresci muito. Não por fora, que isso já não tenho esperanças, mas por dentro. A cada etapa que ultrapasso lá vai crescendo a confiança em mim (que sempre foi muito pouca...). Os últimos cinquenta turnos em cuidados de saúde primários (acabadinhos de fazer 6ª feira...snif, snif!) fizeram de mim uma pessoa crescida. Acabei o estágio com o ego lá em cima. Sabendo que nunca poderia sentir-me realizada se não fosse Enfermeira. Voltei para casa com um série de certezas que me fizeram feliz durante horas...mas que entretanto já nem me lembro quais eram! Talvez porque estou apavorada. Seguem-se cinco semanas do estágio que mais temi desde sempre: cuidados intensivos! É escusado dizer que não me sinto preparada. Que tremo só de pensar. Que já quis começar a contagem decrescente para o final mas que nem isso fui capaz! Este é o meu bicho papão. O monstro que me tem amedrontado nos últimos meses e que agora me sopra ao ouvido. Tento organizar as papeladas mas nem sei por onde começar! Ontem olhei para a minha escala e tremi: só turnos da noite! (vá, lá haverá uma ou duas tardes escondidas pelo meio!). Se por um lado me resolve o problema das insónias crónicas...por outro deixa-me adivinhar que serão semanas duras a trabalhar num fuso horário alternativo! Bem, dito isto...


vou ali dar a volta ao bicho!




6 comentários:

Poeta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Senhor T. disse...

É isso mesmo, miúda desnaturada, vais superar as dificuldades deste estágio tal como superaste todos os outros estágios manhosos e dolorosos que já fizeste.
E cada momento mau só vai servir pra te tornares mais resistente e mais forte. E boa. Boa miúda. ;)

Kiss*

Ciclideo disse...

Forçaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

É incrível como eu me revejo em alguns aspectos que aqui escreveste. Também por isso te desejo a maior força com a certeza que tudo isso vai ser ultrapassado (até por uma questão de principio: não ceder ao medo).

:)

Abraço!

P.S - Não, não é fácil! Mas sim, é possível.

André disse...

Todos temos medos quando encaramos novas situações, aprendem-se a lidar com eles. Quantas vezes o jogador não fica nervoso antes de entrar em campo, ou o artista antes de pisar o palco, ou a estudante antes do próximo estágio. E se ... e se for um desafio, a oportunidade de fazer e aprender coisas novas, a oportunidade de errar, para depois fazer melhor que ninguém,... é assim com tudo e com o curso que estás a fazer também. Vou seguir-te de perto. No primeiro dia que cheguei ao serviço, foi uma estagiária que me recebeu e me indicou como funcionava o serviço. Retive que se chamava Sofia, que me fez sentir bem num ambiente que definitivamente não era o meu, que me tratava pelo meu nome sem senhor atrás, que exibia segurança e equidistância entre o profissionalismo e o apoio que sentiu que eu precisava depois do susto que apanhei. Anda C, que é em pequemos passos que se chega lá. "Vamos lá então fazer os nossos turnos" :)

c. disse...

Senhor T:
eu não sou desnaturada...só tenho mau feitio, mas isso já todos sabem! não desapareci (ainda) mas, como tu costumas dizer, ando a "tratar de mim", o que me faz logo lembrar aquele anúncio que dizia: "se eu não cuidar de mim, quem cuidará?"
um abraço...mas virtual!
**

Ciclideo:
muito obrigada :S são essas palavras que me vão dando energia para vencer os desafios. eu no fundo sou forte...mas às vezes esqueço-me e preciso que me vão dando uns empurrões ;)

p.s.: se também precisares de uma pancadita avisa :D

André:
bem-vindo à minha caixinha dos segredos :) obrigada pela visita e pelas palavras...vou guardá-las para as horas mais difíceis. é bom saber que, de alguma forma, o nosso trabalho é valorizado e que podemos realmente marcar a diferença com pequenos gestos...

agora vamos lá a ter cuidadinho com essa saúde ;)

até breve...

Bruno Miguel Pinto disse...

Estou certo de que isso vai correr bem! Força, camarada! A luta continua!