19 março 2008

Antes assim...


Há noites em que o sono simplesmente não chega. Por mais voltas que dê, não há maneira de conseguir sossegar. Parar por uns momentos. Procuro a todo o custo uma forma de afastar o que me corre cá dentro, mas não encontro a fórmula mágica. Ouço a chuva lá fora. Cai com a mesma intensidade com que as lágrimas vão escorrendo. Tal como acontece com a chuva, não há forma de as deter. Parece que estou determinada a fazer transbordar os rios, a deitar cá para fora toda a dor que se foi acumulando. Às vezes parece que vai parar, que já choveu tudo. Mas, logo a seguir, surge mais uma nuvem, e volta a fazer transbordar esta espécie de sistema de limpeza. Amanhã volto a levantar-me, e saio para a rua com um esboço de sorriso, que consegue enganar os mais distraídos. Olhando o azul do céu, ninguém diria que choveu toda a noite. Antes assim, que ninguém dá por isso, ouço dizer. Na verdade, por dentro, continuo a sentir-me à deriva neste mar que me rodeia. E sei que logo à noite vai chover outra vez.

10 comentários:

Dinesh disse...

Sai à rua da tua alma, e aceita toda essa chuva,
aquece-a com a tua revolta, até que tudo ferva e se evapore...*

Beijinho grande*****

milsean disse...

antes assim, o tanas!
na próxima semana vamos passear ao sol. e se ele teimar em ficar escondido atrás das nuvens...nós e a nossa alquimista vamos fazer uma daquelas reacções exotérmicas através dos sorrisos e gargalhadas.
e nem penses que te vais deixar ir abaixo. até porque eu sou um ser egoista e como tal preciso de ti.

love u, oh mãezinha-de-nós*

C. disse...

parece que anda tudo do contra...por mais que tente, as noites teimam em alargar-se e em tomar conta dos meus dias. assim, chove a toda a hora e qualquer sombra de revolta que possa sentir não me chega para fazer evaporar toda esta água que me inunda e transborda em qualquer solavanco. basta um toque leve para entornar tudo cá para fora. quem me dera que a fonte gelasse ...

Dinesh disse...

Tu como Tu,
Eu como Tu,
Tu como Eu.


Beijinhos grandes*

Dinesh disse...

Preciso contar-te a verdade.

Temi encontrar-me contigo ontem,
mesmo que encostados ao sol,
porque estou igual a ti,
consoante com o céu incerto
deste fim de inverno.

Temi que juntos chovêssemos fios de dor;
que deixariam o nosso chão ainda mais frio;
que deixariam os nossos passos ainda mais submersos.

Temi pelas almas felizes,
a quem poderíamos ter estragado a luz da tarde.

Fico cortado por dentro quando te vejo triste.
Não suporto mostrar-me quando estou escuro.

Desculpa.***

inês disse...

A noite acalma e dissipa qualquer revolta que o sol desponte, é certo que há noites em que chove torrencialmente mas essas noites alternam com noites de acalmia. Nessas noites calmas adormecemos esgotados pela felicidade diurna e tudo faz sentido. Essas noites estão para chegar até ti. Sentirás que o mundo para lá da tua janela já dorme e tu também poderás fazer o mesmo se (simplesmente) fechares os olhos e deixares-te levar pelo silêncio da noite. Adormecerás embalada pelo sossego. De manhã vais levantar-te e sair para a rua com o sorriso capaz de iluminar o teu (novo) mundo. Vais olhar para o céu azul que se estende sobre ti e perceberás que nessa noite não vai chover! E ouvirás dizer “antes assim!”
Estas minhas previsões meteorológicas serão cumpridas. Eu sei que a Joana é que é a menina da meteorologia mas ela pode confirmar tu-di-nho! E as reacções exotérmicas aproximam-se, vamos adicionar uma fonte de calor sob a forma de abraços e sor(risos) de forma a subtrair a H2O por evaporação.

Quero-te bem! Adoças a minha vida e eu só espero iluminar a tua. LY *

C. disse...

Dinesh,
em ti eu não espero encontrar sempre um sorriso, mas sim um abraço. sei que tu, tal como eu, tens os teus dias de chuva, mas também sei que se partilharmos uma tarde de temporal esta nos parecerá menos triste. a tarde foi cinzenta e faltava lá o nosso abraço para nos confortar...espero que em breve sejamos capazes de fazer inveja a essas almas felizes que se passeiam pela praia em tardes de sol ***

p.s.: são as tuas verdades que me fazem gostar tanto de ti ;)

C. disse...

ines,
nestas noites faz-me falta alguém para me embalar. alguém que me afague o cabelo e diga: eu estou aqui...vai correr tudo bem!
sei que voces estão a torcer por mim, nesse mundo distante onde habitam...mas fazem-me aqui tanta falta os vossos sorrisos! Este microclima dá cabo de mim...

p.s.: mal posso esperar por esse encontro com a alquimista e a menina da meteorologia :) já me cheira a canela...

apipocamaisdoce disse...

Este post podia muito bem ter sido escrito por mim para descrever umas e outras noites. E também penso nisso: se, ao menos, houvesse uma fórmula mágica. Para não pensar. Já só peço isso, conseguir não pensar! A grande merda é que não há. E que sabemos que temos que passar por isto até à chegada de dias mais felizes. Sem poder fazer grande coisa. Uma merda. Uma grande merda.

C. disse...

olá pipoca ;)
bem-vinda ao meu humilde cantinho...onde às vezes também chove! Avisa quando descobrires a fórmula mágica para noites mais amenas...este mau tempo dá cabo de mim, ou de nós!
Volta sempre ***