18 fevereiro 2008

Rescue Me #2


Acordo muitas vezes com a ilusão de ser forte. Manhãs em que sei que nada me pode parar e que, sem dúvidas, o sol vai brilhar. Dias em que nada pode escapar do meu controle e todos os problemas não passam de quebra-cabeças para crianças. Tardes em que os amigos estão lá para as gargalhadas. Noites preenchidas, ao sabor das marés, com palavras infinitas que fazem esquecer o sono e nos levam para longe. Madrugadas que chegam sem darmos por isso e nos apanham desprevenidos sem tempo de esconder o sorriso...

Mas muitas vezes essa sensação de força não passa disso mesmo: uma ilusão! E aí acordo e ao olhar o que me rodeia, os destroços que ficaram e não vão embora, sei que afinal as forças não são assim tão invenciveis. As manhãs tornam-se frias e a neblina encobre os sonhos. As tardes vazias...todos estão longe e dos sorrisos já só existe uma imagem distante. À noite a insónia não parte e obriga a manter os olhos abertos, lembrando que afinal estamos sós. Mas daquela solidão má...que nos sufoca, da que queremos (precisamos) preencher mas não temos como. A madrugada vai-se instalando enquanto procuro aquele lugar seguro em que me refugiava em busca de algum conforto...mas já não está lá.

If you rescue me,
I'll be your friend forever,
Let me in your bed,
I'll keep you warm in winter,
All the kitties are playing
and they're having such fun,
I wish that could happen to me,
But if you rescue me,
I'll never have to be alone again.
Oh the cars drive so fast
and the people are mean,
and sometimes it's hard to find food,
let me into your room,
I'll keep you warm and amused,
all the things we can do in the rain
If you rescue me,
I'll be your friend forever,
Let me in your bed,
I'll keep you warm in winter,
Oh someday I know
someone will look into my eyes
and say, "Hello, you're my very special kitten,"
So if you rescue me,
I'll never have to be alone again

If you rescue me - Jean-Michel Bernard

P.S.: Quem me dera ter um gatinho daqueles ;)

4 comentários:

angel_of _dust disse...

por vezes, a outra face da moeda não é coroa... por vezes é um vazio que teimamos em esconder, em pensar (e dizer) que não está lá.

por vezes as insónias que amamos - que nos permitem estar atentos aos ruídas e cheiros da noite - são apenas insónias, falata de sono e cansaço acumulado. por vezes as noites custam a passar, a cabeça trabalha a mil-à-hora, as memórias não param de se sobrepôr umas às outras. e nós apenas a querer dormir, descansar.

por vezes os amigos não são o suficiente. não conseguem chegar ao buraco que temos cá dentro. as suas palavras doces não evitam sentirmo-nos sós e incompreendidos. se nem nós temos a solução para os nossos problemas, como poderão eles ter?

por vezes... por vezes... às vezes só tempo cura. outras vezes o tempo magoa, lembra-nos de tudo o que ficou para trás. escondendo o que ainda aí vem.

há dias, horas, minutos e segundos assim. em que a outra face da moeda é escura. e nosso reflexo não aparece. nem o sorriso que gostaríamos de ver.

C. disse...

Por vezes o tempo revela-se o nosso maior inimigo e torna-se um agente de erosão sob as nossas feridas, contribuindo para a cegueira que não nos permite ver mais além.

Nem sempre conseguimos virar a moeda e mostrar a nossa melhor face. Nem sempre a probabilidade de sair qualquer uma das faces é igual. Há alturas em que por muito que nos esforcemos parece que os dados estão viciados.

Felizmente existem linhas que nos puxam e nos fazem virar a moeda, que nos mostram que não estamos sozinhos, que insistem em mostrar-nos que ainda temos um lado mais alegre e que nos diz para seguirmos em frente nas nossas ilusões ***

Dinesh disse...

Amiguinha,

Às vezes penso que podemos mudar a nossa maneira de pensar: os dias maus é que são ilusão; os dias bons é que são realidade.

Talvez se acreditarmos mais na nossa força nos tornemos mais fortes.

E tenho a certeza, se acreditarmos fracos vamos mesmo ficar mais fracos.

Eu tou aki, tu tás aí, mas sabes que o meu carinho está cá, e é transmitido por ondas energéticas muito esquisitas e fortes, que tu devias receber!!! :D

Por isso, sintoniza aí as ondas! :D


****

C. disse...

dinesh:

eu acredito que se nos deixarmos levar pelas ilusões que queremos viver poderemos acordar mais fortes...é isso que tenho feito, embora nem todos os dias resulte.

há dias em que somos chamados à realidade e, por muito que não fosse esse o nosso desejo, temos de nos confrontar com o mundo menos perfeito, aquele que nós criámos em tempos...e que depois destruímos! Temos de voltar às feridas, sentir novamente a solidão, a frustração do fracasso...a dor que queríamos adormecida mas que é tão facilmente despertável!

Quanto ao teu carinho...sim, eu continuo a recebe-lo através dessas múltiplas formas através das quais vamos estando ligados. Espero que recebas também as minhas...fortes, positivas e um pouco descompensadas por vezes ;)

um abraço ***