25 fevereiro 2008

Falling Slowly

Já há algum tempo que andava para aqui deixar este vídeo com “a cena” de um dos melhores filmes que vi no ano passado: "Once". Fez-me relembrar os clássicos “Before Sunrise/Before Sunset”. Mais um filme genial de tão simples que é…os diálogos raramente existem e as personagens (duas criaturas incrivelmente sozinhas…arriscaria mesmo a dizer: perdidas!) comunicam através das suas músicas. Enfim, é daqueles filmes sob o mote “How often do you find the right person?” que exige um pacote de lenços do LIDL ao lado mas que sem dúvida vale a pena ;)

Ontem o filme foi premiado com o Óscar para melhor canção original e arrisco dizer que não poderia ter sido melhor entregue!


I don't know you
But I want you
All the more for that
Words fall through me
And always fool me
And I can't react
And games that never amount
To more than they're meant
Will play themselves out

Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you have a choice
You've made it now

Falling slowly, eyes that know me
And I can't go back
Moods that take me and erase me
And I'm painted black
You have suffered enough
And warred with yourself
It's time that you won

Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you had a choice
You've made it now
Falling slowly sing your melody
I'll sing along

Falling Slowly, Glen Hansard

p.s.: um dos temas de que mais gosto no filme é este “Broken Hearted Hoover Fixer Sucker Guy”. É a música que o Glen Hansard compõe para contar em 60 segundos o seu desgosto amoroso à Markéta Irglová…simplesmente genial LOL



3 comentários:

angel_of _dust disse...

não conhecia a música 'falling slowly' nem o filme antes da noite dos Oscars... não sei porquê, mas no meio de todo o aparato das restantes músicas esta prendeu-me pela simplicidade... agora o video voltou a colocar-me um sorriso de inverno na face. e agora fiquei curioso por ver o filme. obrigado c.

C. disse...

o filme é realmente muito simples...foi exactamente isso que deixou rendida!
aquelas duas personagens conquistaram-me à primeira vista...talvez por me identificar tanto com elas, com as suas vidas, com a sua coragem para sofrer as suas dores e com a sua força para seguírem o rumo que acreditam ser o correcto.
admiro a forma como se deixam levar pelo que sentem...é pena que nem sempre sejamos honestos connosco próprios e que teimemos em fingir que somos outros, que não sentimos, que não queremos este caminho e que somos capazes de seguir outro. quando na realidade só não temos é forças para lutar, para amar e sofrer por aquilo que realmente queremos. é tão mais fácil baixar as armas e desistir...

p.s.: infelizmente o filme ainda não estreou por cá mas não deve faltar muito...confesso que o adquiri por meios menos "oficiais".

C. disse...

Ah, não sei se ainda vou a tempo mas se possível não vejas o trailer...foi uma daquelas ideias pouco felizes porque conseguíram contar grande parte do filme em poucos minutos acabando por lhe retirar alguma força. ODEIO ver trailers de filmes que ainda não vi...